segunda-feira, 27 de março de 2017

Contaminador Social lança Pax Tibi

Contaminador Social é uma banda de Pouso Alegre-MG que faz um som Rapcore/HC. Com influências de Punk 77, Punk nacional, Hardcore, Rap Core e Hip Hop, a banda acaba de lançar a demo "Pax Tibi", que significa "Fique em paz", com 4 músicas. Três delas foram gravadas no estúdio Rota 976, e a faixa "Não sou Jesus" foi gravada de forma caseira. Formada por Goiaba nos vocais, Jahjah na guitarra, Girilo no baixo e Demétrio na bateria, a banda disponibilizou a demo para audição e download. Ouça aqui no Tosco Todo.
CONTATOS:

sexta-feira, 24 de março de 2017

Cianeto HC lança Estilhaços

Diretamente de Teresina, a banda de hardcore Cianeto HC lança o EP ‘Estilhaços’, segundo material do quarteto formado por Heitor Matos (vocal), Pablo Vinícius (bateria), Valciãn Calixto (baixo) e Robervan Sousa (guitarra), que em 2016 estreou com ‘Decair’.
Cianeto HC de Terezina-PI
O grupo que participa do coletivo Geração TrisTherezina, só reforça o quanto é característico para essa nova turma do Piauí o flerte com diversos ritmos sem preconceito algum, haja visto que no ep Decair, a Cianeto traz um ska e aplicações de funk e reggae. Ouça aqui no Tosco Todo!


quarta-feira, 22 de março de 2017

Entrevista com Ricardo da banda Rua 25

O papo de hoje é com Ricardo Ruas, vocalista da banda punk rock Rua 25, da cidade de Guaratinguetá, no Vale do Paraíba. A banda lançou o EP "Barricada e Molotov", e além de falar sobre isso, Ricardo nos conta também como anda a cena na região. Leia e ouça aqui no Tosco Todo!
Ricardo - Vocalista da banda Rua 25
A primeira curiosidade é em relação ao nome da banda. De onde tiraram esse Rua 25?
Ricardo Ruas - Muitos tem essa curiosidade mesmo...rsrs...mas na real, a Rua 25 fica em um dos bairro mais violentos aqui de Guaratinguetá, além de ser uma biqueira, era a única asfaltada na época, hoje o bairro está um pouco mais tratado e o curioso que muitos faziam um corre do barato, então ficava aquela; vamos na Rua 25 buscar um barato e tal...rs...aí certo dia, virei para um amigo meu que fazia um som com a gente e falei; Tá aí, velho, Rua 25 é um nome massa pra banda! Aí ficou...rsrs...Essa Rua 25, é o retrato do nosso Brasil, é o espelho da nossa sociedade, igual a ela tem várias, milhões.
Rua 25: Silmar (Guitarra), Jonas (baixo), Gabriel (bateria) e Ricardo (vocal).
O Rua 25 foi formado em 2001 em Guaratinguetá. Como era a cena naquela época?
Ricardo Ruas - Em geral, a cena punk de Guaratinguetá sempre foi muito fraca, exceto na década de 80, que o punk nacional estava mais em evidência com muitas bandas, aí rolou até alguns festivais, não só aqui, mas em Piquete, Pindamonhangaba, Cruzeiro. Mas no geral sempre foi muito fraca.

E hoje, como anda a movimentação por aí? Shows, bandas, o que tem rolado?
Ricardo Ruas - A movimentação em relação a gigs punks continua fraquíssima, ou zero por aqui, inclusive o Rua 25 é muito difícil fazer show aqui, tocamos mais quando nós mesmo organizamos, mas a falta de espaço é gritante, até mesmo a falta de público quando rola, é uma realidade triste porque gostaria de tocar muito mais com o Rua 25 aqui em Guará.
Em 2003 vocês criaram o próprio selo. Qual foi a necessidade disso?
Ricardo Ruas - O selo, "Quero uma festa Punk!" foi uma cooperativa entre duas bandas, né, o Larx e o Rua 25. E a necessidade foi para se organizar shows, divulgar as bandas, não só as nossas, mais da região em geral aqui do Vale do Paraíba, que inclusive tem muitas bandas boas mesmo e que merecem estar mostrando o seu trabalho.

Vocês também já fizeram shows com bandas importantes da cena nacional, e também com algumas bandas estrangeiras. Qual o show vocês não se esquecem?
Ricardo Ruas - O primeiro show do Rua 25 com uma banda de destaque do cenário mesmo foi em 2002, com o Cólera, aqui em Guará mesmo, e foi o que me marcou cara, porque o contato que tive com o Redson, de conhecer a simplicidade e humildade de um dos caras mais importante da história punk brazuca, foi o que me marcou e deu gás pra ter certeza que era aquele som mesmo que queria fazer, som de protesto.

A banda completa 15 anos lançando o EP “Barricada e Molotov”. Depois de tanto tempo, porque a banda não lançou nenhum CD completo?
Ricardo Ruas - Gravar um disco de 10, 12 músicas ou mais, as vezes o camarada nem escuta todas, fica meio maçante, aí você acaba queimando músicas. Pra falar a verdade cara, estúdio é uma chatice das grandes...rsrsrs...gravar seis músicas já quase que não aguento imagina um disco completo...rsrsrs...mas quem sabe gravamos um dia.


O Rua 25 Participou também de muitas coletâneas. Qual a importância desses lançamentos para a divulgação de uma banda no underground?
Ricardo Ruas - Cara, coletânea é sempre importante para as bandas, pois é uma vitrine, o seu trampo está ali sendo divulgado, e não deixa de ser uma união entre as bandas, o fazer acontecer, e tivemos a oportunidade sim de participar de bastante coletâneas, não só com bandas da região do vale como de São Paulo. O underground é isso na realidade, muitas bandas não conseguem divulgar seu trampo, gravar seu disco, aí junta várias bandas, racha as despesas, é assim que acontece.
Rua 25 - Outros Materiais - OUÇA AQUI.
O espaço é de vocês. Falem o que quiserem!
Ricardo Ruas - Queria agradecer em nome do Rua 25 o espaço aberto aí por você, no seu blog, que é importantíssimo para bandas estarem divulgando seu trampo. Nesses 15 anos nas ruas, resistência é a palavra que nos define, a palavra que resume nossa luta, e que enquanto existirem covardes, fascistas, o Rua 25 estará ai, protestando e levando o seu som a todos os cantos possíveis!
Ande pelas Ruas!

Contatos Rua 25:
Ricardo (12) 98852-3091