sexta-feira, 16 de setembro de 2016

Álisson deixa a Pastel de Miolos e segue projeto com a Macabéa

Há cerca de duas semanas, o punk rock baiano foi surpreendido pela notícia da saída de Álisson Lima, vocalista e guitarrista, da banda Pastel de Miolos. Há mais de vinte anos na estrada, com vários CDs lançados, turnês pelo Brasil e Europa, a Pastel de Miolos é referência para os admiradores do punk rock e hardcore. Mas o que motivou a saída de Álisson?
Conversei com ele para esclarecer isso, e falar do seu novo caminho no rock baiano.
Álisson Lima quer seguir outros caminhos

O que o motivou a deixar a Pastel de Miolos, uma banda com uma estrada já consolidada?
Álisson- Primeiro que foi uma decisão totalmente pessoal, os caras da banda são grandes amigos. Mas eu queria dedicar meu tempo a um som diferente e que eu sempre gostei de tocar. A PDM é um banda de hc e punk e eu acredito que deve continuar assim até o final. Se eu não queria mais tocar esse tipo de som era mais coerente ir tocar o que quero invés de tentar transformar a PDM, que tem uma história tão longa, em outra coisa. Eu mudei pra que a PDM continue forte e te digo que não foi um decisão fácil, foram dois anos pensando e repensando a respeito disso. 

E agora você está com outra banda. Quando surgiu esse outro projeto?
Álisson- A Macabéa surgiu há 11 anos, no período em que tocava na Declinium ao mesmo tempo em que estava na PDM. Antes dos ensaios eu me reunia com mais dois amigos (Samuel Galvão e Evandro Remella) e ficávamos improvisando uns sons. E aí vinha o gosto por bandas parecidas como o The Cure, Smiths, enfim...eu resolvi começar a escrever umas letras e aí a banda começou. Nesses 11 anos houve uma mudança intensa de membros, períodos de inatividade e gravação de um EP com cinco músicas em 2010, que eu gravei todos os instrumentos, menos a bateria que foi gravada por Wilson (batera da PDM). 
Macabéa é: Marcos no Baixo e voz, Álisson no vocal e guitarra e Rugolo na Bateria 
Existe esse material para as pessoas ouvirem na internet?
Álisson- Sim. Existem alguns links espalhados pela internet. 

Eu acredito que com a sua saida da PDM, você já tenha planos de gravar algo novo com a Macabéa. Qual o próximo passo?
Álisson- O próximo passo é ensaiar e tocar o tanto que pudermos. Vamos gravar quando estivermos prontos, com o repertório afiado...

Uma coisa que incomoda muitos artistas quando saem de uma banda, é os fãs pedirem música da banda que ele acabou de deixar. Se acontecer de alguem pedir uma música da PDM em um show da Macabéa, o que vai acontecer?
Álisson- Simplesmente não vai rolar. A PDM é outra banda que não acabou e o cara pode ir no show e pedir o som que quiser escutar.
se fosse pra tocar PDM eu continuava na banda... 
Próximo show da Macabéa
Pra finalizar, apesar de você estar indo para um novo projeto, com um novo estilo. Alisson deixa de ser um punk rocker?
Álisson- Punk não é um som, é um jeito de se relacionar com o mundo. Isso não muda! É claro que muitos vão dizer o que quiser, mas eu nunca fiz força pra ser punk, ou melhor, eu nunca fui punk. Eu sempre fui e continuo sendo eu mesmo! Talvez isso seja ser punk! Quem sabe?

Ouça aqui duas músicas da Macabéa ( Em breve eles estarão atualizando suas páginas na net).
Contatos: Facebook.com/alissonlima

E.D.I. lança Realidade

O duo potiguar E.D.I. acaba de lançar o EP "Realidade". Gravado em 10 de setembro de 2016, com Thiago César na guitarra e voz e Caroline Silva na bateria e voz, o EP traz 6 faixas, incluindo um cover da banda Seek Terror. Esse é o 4º lançamento da banda.
Com uma gravação de boa qualidade feita no Estúdio F, o  E.D.I. continua na linha do punk dos anos 80, com um som direto e sem firula.
E o Tosco Todo disponibiliza para você essa sonzeira!
Baixe Aqui - E.D.I - Realidade

segunda-feira, 29 de agosto de 2016

Malaco Véio lança Destrua o Sistema

A banda Malaco Véio, da cidade de Ribeira do Pombal-Ba, está na ativa há 17 anos, e lança no próximo dia 3 de Setembro o seu mais novo CD, intitulado "Destrua o Sistema". O show acontecerá na AABB da cidade, e começa a partir das 18 horas.
Conversei com o Ricardo, vocalista e baixista da banda, e ele me contou como surgiu a ideia de gravar esse novo material, que veio muitos anos depois da primeira demo de 2002. "Com um tempo, nós nos sentimos acomodados, então surgiu a ideia de convidarmos o amigo Clemerson (Rato Preto) para uma experiência com duas guitarras. Gostamos muito do resultado e isso deu um grande impulso na banda, surgindo assim um maior interesse de divulgarmos nosso trabalho."
Capa do novo CD da Malaco Véio.
E apesar dessa demora em gravar um novo material, a banda não é novata, já possui além do CD-demo de 2002, com 8 músicas, conta também com um CD ao vivo gravado durante uma sessão de ensaio, intitulado “Ao vivo no Punk Caverna (2011)”, e uma apresentação gravada em DVD durante o 5º Festival Eventual Rock (2008). Além disso participou das coletâneas virtuais “Saindo do Ócio e Incomodando, (2010)” e da “Punkhardcorecrust Attack, (2011).
Mas sobre o "Destrua o Sistema", Ricardo conta como foi a produção: "Esse CD foi gravado aqui mesmo em Ribeira do Pombal, pelo amigo Marilton. A arte da capa e contra capa foram feitas pelo amigo Adilson Lima, da cidade de Itabaiana-SE".
O pessoal da Malaco Véio sempre organizou seus próprios eventos e Ricardo explica sobre o show de lançamento: "Tínhamos a ideia de organizarmos esse evento com o intuito de trazermos bandas de outras cidades, e dar opções ao nosso público já que ultimamente nossos eventos vinham sendo apenas com bandas da cidade."
E com esse show, a Malaco Véio busca aumentar ainda mais o intercâmbio com bandas de outras cidades. O foco agora, com esse novo CD em mãos, "é fazer esse intercâmbio e podermos divulgar nosso trabalho com uma maior cobertura possível." E de antemão, ele já agradece a parceria com as bandas: "Agradeço desde já as bandas que vão tocar com a gente nesse show, por demonstrarem total interesse em se apresentar em nossa cidade e apoiarem a divulgação de nosso trabalho."
No evento, ainda estará disponível a banquinha de vendas de CDs e camisetas da banda, além de materiais das bandas parceiras.
CONTATOS:
Malaco Véio 2016: Juninho, Ricardo, Marco e Clemerson