segunda-feira, 16 de março de 2015

Entrevista com a banda Os Maltrapilhos

O papo de hoje é com a galera da banda Os Maltrapilhos, de Ceilândia-DF. Há mais de 20 anos na estrada, com vários CDs gravados e bastante conhecidos no meio punk hardcore, confira a conversa que tive com eles:
Clebão (Bateria e vocal) e Marcio (Vocais): Os Maltrapilhos
1-Vamos começar falando do último trabalho de vocês, o CD Vivendo de absurdos (2013). Como foi a produção desse material? Contaram com o apoio de algum selo, ou foi feito por conta própria?
Marcio: Então, o "Vivendo de Absurdos" foi nosso trabalho mais "trampado", tivemos muita dificuldade pra chegarmos nesse ponto ai, mas no final foi gratificante ouvir de quem acompanha todos os trabalhos da banda dizendo:"caralho,ficou foda o disco!!"e apostando nele nos ajudaram a Feio Records(SP), GBG Discos,(DF), BSN MedellinHardcore(COLÔMBIA), Orbis Estudio, ME Estudio, e as lojas: Filial do Rock & Abriuprorock, além da serigrafia: Utida Kingdown & Artistik Serigrafia, e os bares: Dom Bar & Bar da Toinha.
2-Rolou um show de lançamento, né?
Marcio: Sim rolou, aproveitamos a oportunidade que o Flavio Moraes da banda Aversão teve pra trazer pro DF a banda Flicts e fizemos uma festa legal, com promoção de lançamento do disco...
Show de Lançamento do CD Vivendo de Absurdos.
3-Como anda a divulgação desse disco? Qual a temática das letras?
Marcio: Durante todo ano de 2014 ele foi bem trabalhado e distribuído pra "Distros" interessadas pelo país a fora, diversas resenhas já foram postadas nas redes sociais, frutos de um bom e árduo trabalho com letras ásperas e verdadeiras que falam da quebrada onde a gente mora, passando pelas falsas amizades e chegando até o nosso maior inimigo o "sistema".
Ismael no baixo
4-Antes de lançar o Vivendo de absurdos, rolou um show na Colômbia. Como surgiu o convite pra vocês tocarem lá? E como foi a receptividade do público? Fala pra gente um pouco sobre essa experiência:
Clebão: temos um amigo em Brasília que é colombiano (Olimpo) que reside aqui já faz alguns anos e foi ele quem fez o contato, levou nossos CDs e apresentou para a família Gato Negro, organizadores do festival, para que pudéssemos tocar. A recepção foi muito boa, fizemos 02 shows, um em Bogotá, e a casa estava lotada e o segundo em Medellín em um festival punk com bandas da América do sul. Acreditamos que gostaram dos nossos shows, tendo em vista que após as apresentações fomos procurados por muitas pessoas e integrantes de outras bandas para adquirir nosso material, tirar foto, coisas desse tipo.
Os Maltrapilhos na Colômbia

5-A banda tá com 21 anos de estrada. Olhando pra trás, tudo que já passaram, os shows, amizades, furadas, fariam tudo de novo? Conte-nos uma história que vocês não se esquecem desses 21 anos:
Clebão: faríamos com certeza, pois foi graças à banda que conhecemos vários estados, fizemos inúmeras amizades que duram até hoje e tivemos a oportunidade de levar nosso protesto para fora do Brasil o que é muito difícil para uma banda de punk rock. Tivemos várias situações durante esses anos todos que nos marcaram, talvez a mais louca foi quando fomos convidados para participar de um festival em Cuiabá-MT e locamos uma van, convidamos alguns amigos, inclusive um sueco (Jonte), e fizemos um bate e volta daqueles rodando dia e noite, calor insuportável aliviado apenas por várias latas de cerveja.
Clebão regaçando na bateria
6-O que faz uma banda continuar por tanto tempo em atividade?
Marcio: Risos...a pergunta mais difícil de responder, muitos me perguntam se a gente ganha dinheiro com isso? E respondo: satisfação!!!
Márcio em ação
7-E como conseguiram manter essa formação por tanto tempo. Já houve alguma mudança na formação?
Marcio:Respeitar as diferenças, conservar a amizade antes de tudo e entre um som e outro umas rodadas de cerveja...eu costumo dizer que a banda até hoje só passou por uma formação, que foi a saída do Roberto pra entrada do Rodrigo...é uma matemática meio complexa de ser entendida aqui...mas já nos quebraram um galho os amigos: Rafael, Papú, Robson (Macakongs 2099), Frango (Galinha Preta), Moa (The Squintz)...assim vamos sobrevivendo.
Formação das antigas.
8-Voltando um pouco no tempo, Os Maltrapilhos surgiu ainda naquela época das fitas K7. Como vocês analisam a mídia digital como forma de divulgação? Dizem que o CD morreu, mas já disseram isso do vinil e agora ele tá voltando. Existe um formato ideal? O que vocês acham de tudo isso?
Clebão: Na verdade nos dias de hoje não existe uma mídia ideal, cada um tem uma preferencia para ouvir suas músicas, é claro que hoje com a internet é muito mais fácil divulgar o som da banda além da praticidade a sonoridade chega de imediato, coisa que quando começamos nos anos 90 era impossível tínhamos que ficar aguardando a fita ou o disco daquela banda chegar para poder ouvir. No nosso caso todo o registro oficial da banda é em CD, não por opção, mas por questão financeira, é muito mais barato lançar um material aqui no brasil em CD do que em vinil.
Show em comemoração aos 18 anos. A maioridade alcançada.
9-A banda já tocou com bandas consagradas, não só do Brasil, mas também internacionais como o Rattus e o Varukers. Como foram essas experiências? Como é poder tocar junto com bandas consagradas que com certeza influenciaram vocês?
Clebão: Pô, foi uma realização tocar com ícones da cena punk mundial, bandas que escutávamos e continuamos escutando até hoje e poder dividir o palco com essas lendas, faz valer a pena toda a correria e dificuldade que se tem.
Rodrigo: Guitarrista
10-E pra 2015, quais os planos? Disco novo, turnês? O que podemos esperar d’Os Maltrapilhos?
Clebão: Esse ano, não iremos gravar, tendo em vista que ainda continuamos com a divulgação do "Vivendo de Absurdos", queremos continuar tocando e principalmente poder fazer shows em cidades que ainda não conhecemos. Por isso, convites são sempre bem vindos, inclusive acabamos de fechar um show na cidade de Caxias no RS onde irá acontecer em maio o festival "Pampa Punk".
Os Maltrapilhos 2015
11-O espaço é de vocês, divulguem, gritem, mandem abraços...façam o que quiserem!!!
Clebão: queremos agradecer pela oportunidade desta entrevista, as pessoas que vão ao nosso show, compram nosso material, fazemos parte de uma cena e queremos que ela cresça cada dia mais. Os Maltrapilhos é uma banda de punk rock de protesto e todos aqueles independentemente de rótulos que se identificarem com nossas letras e nosso som serão bem vindos ao nosso ciclo de amizades. Muito obrigado e saúde a todos!!!
Marcio: Agradecemos a todos que vestem a camisa da banda, que interagem aqui nas redes sociais e nos cumprimentam na rua, as bandas, mulheres, bebuns e parceiros que conhecemos ao longo desses 21 anos de estrada...um forte abraço...amizade, respeito e união sempre!!
Completando a discografia da banda, temos:
Desemprego-Desespero-2006
Descaso-2008
OUÇA AQUI OS MALTRAPILHOS.

CONTATOS:
CAIXA POSTAL:7318
CEP:72.225-971
CEILANDIA-DF
Email: osmaltrapilhospunkrock@yahoo.com.br

Um comentário:

MARCOS disse...

Massa, banda e fera manolos!