sábado, 3 de novembro de 2012

Entrevista com o Enrique da DxDxOx

O papo hoje é com o Enrique, vocalista da banda DxDxOx, lá de Campo Grande-MS. O cara está na cena desde os anos 90, movimentando com a banda...vamos conhecer um pouco mais dessa história. Acompanhe aí:
Enrique DxDxOx
1-Como era a cena em Campo Grande em 1998, ano de formação da banda?
Enrique - Olá Nem! Desculpe pela demora, mas vamos começar nosso papo. O cenário underground de Campo Grande em 1998 era bem diversificado, mas com menos bandas do que existem hoje. Eu como um apreciador do rock underground mais pesado, procurava ir a todos os shows ou eventos da cultura underground que existiam na época – shows em bares rock, shows em escolas, reuniões de amigos nas casas, etc. Existiam as bandas independentes com sons próprios (punk, hardcore e metal) e as bandas de covers, da mesma forma que atualmente. Amizades foram feitas nessa época que duram até hoje.
Dor de Ouvido em 1998
2-E como foi que você entrou na DxDxOx?
Enrique - Fui convidado pelos caras que montaram a banda – Diego (bateria), Pimpo (guitarra) e Clayton (baixo) – no mesmo ano, pra fazer o vocal. Eles já tinham sons próprios e mandavam uma sonoridade mais voltada para o punk rock / hardcore. Acabei estragando isso trazendo influências do metal – death e thrash metal – e também do grindcore hahaha.
Show da DxDxOx em 1999
3-Quais eram as influências daquela época?
Enrique - Na época o acesso ao barulho era pouco. Dos poucos que conseguiam acesso à CD´s gravavam em fitas para os outros, desta forma bandas como Negative Controle e Mukeka di Rato chegavam aos ouvidos da galera através da troca de tapes, na qual eu estava incluído. Comecei a me corresponder e adquirir / trocar material com outras bandas, que obviamente geraram uma influência sonora no material que estávamos produzindo... Tínhamos influência de bandas “grandes” e com CD prensado gravado, como Sepultura, Ratos de Porão, Ramones, etc, bem como bandas independentes que estavam divulgando seus trabalhos na época, como DFC, MUKEKA DI RATO, NEGATIVE CONTROL, JASON, etc... e claro, das bandas que pegávamos demo tapes e splits cassetes do cenário hardcore, punk, metal e grindcore (eram muitas). Resultado: tenho uma imensa coleção de fitas cassete em casa, e adoro isso!

4-Hoje a banda faz um grindcore. O que levou a mudança de estilo da DxDxOx?
Enrique - Na verdade não sei. Pessoalmente eu acho o grindcore a forma mais intensa de me expressar, pois incorpora diversos estilos que gostamos e nos dá liberdade para criar dentro de nossas influencias, que são muitas. Mas pessoalmente não vejo o DxDxOx como uma banda de grindcore, mas sim uma banda de hardcore, dentro do que toda essa cultura pode abranger.
DxDxOx no Bar do Tião.
5-A demo tape "Perturbação demo reh.", foi o primeiro trampo...qual foi a repercussão desse material no meio underground?
Enrique - Isso foi bem legal, na época existia um estúdio mantido pelo João Paulo (baterista de diversas bandas de metal underground aqui na capital e um amigo de longa data) e pelo Vitor (atualmente guitarrista da banda Alcoholic Death, uma das melhores bandas de thrash / death metal old school no Brasil, na minha opinião) no qual ensaiávamos bastante. Era um tempo de muita criação, praticamente uma música (?) nova por ensaio. De posse de um gravador (daquele de micro system mesmo) gravamos diversos ensaios, os quais separei as melhores faixas e gravei em seqüência em uma fita matriz, editando na minha casa. Eu tinha acabado de comprar um computador usado de um amigo e nele instalei o programa corel draw, o qual aprendi a usar “fuçando” e deste modo produzi a capa desta fita cassete, fazendo cópias iniciais e mandando para os contatos que tinha por carta. Nesta época tinha uma banda de grindcore chamada ACCESS OF DENIAL, na qual o João Paulo do estúdio tocava, e nada mais lógico do que então fazer um split tape e começar a divulgar mais sério. Nisso passei centenas de fitas gravadas em trocas ou mesmo aquisições, o que me surpreendeu muito, as pessoas adquiriam nosso material pelo correio, enviando o valor escondido (mocado) na carta e eu respondia com a fita cassete enviada. Nesta época o que ajudou foi que eu também editava um zine, o que potencializou a divulgação deste material para muitos lugares e pessoas.
Primeira Demo da DxDxOx-1999
6-Depois disso a banda teve várias formações. Qual a maior dificuldade para manter uma banda durante tanto tempo?
Enrique - Sim, teve diversas formações, sendo que eu e Diego estivemos em todas elas. A maior dificuldade foi achar tempo para tocar em uma banda de barulho e realizar as outras atividades do dia a dia, trabalho, estudos, relacionamentos, outras prioridades. Já ficamos sem ensaiar por diversas vezes, cada um com sua prioridade, mas a banda nunca chegou a acabar. Desde que montamos a banda, muita coisa se passou, alguns casara, tiveram filhos, formaram-se em faculdades, moram fora, e apesar de tudo, tentamos continuar ativos.
DxDxOx versão 2006
7-Apesar dessas dificuldades a banda sempre esteve firme na cena participando de muitas coletâneas. Como vcs faziam naquela época pra manter contatos no underground?
Enrique - Era sempre por carta né? Como já disse, o que ajudou foi os contatos que tinha através do zine que fazia. Então estávamos sempre divulgando os materiais que tínhamos por carta, flyers e também entrevistas em zines.
Coletanea Visão Underground Zine
8-A internet hoje facilita bastante essa troca de materiais e informações. O que você acha de tudo isso, download free, videos na net em tempo real?
Enrique - Sinceramente eu acho válido. A velocidade da expressão é em tempo real, você acaba de gravar um vídeo e já coloca na Internet, você acaba de gravar um som e já disponibiliza pras pessoas baixarem. Claro que tudo tem uma face negativa, mas no geral, é positivo.

9-Como anda a cena de campo grande hoje em dia?
Enrique - Existem diversas bandas nos mais variados estilos de rock ou afins, como metal, hardcore, punk, glam e também blues. Campo Grande é essencialmente uma capital rockeira, com 2 a 3 shows semanais de diversos estilos de rock.

10-A DxDxOx já tocou com bandas consagradas como Ratos de Porão, Dead Fish e Sick Terror. Como foi a relação de vocês com a galera dessas bandas? O ratos é uma influência forte no som de vocês até hoje, né?
Enrique - Foi bem legal, pois são bandas que gostamos muito e tivemos a oportunidade de dividir palco aqui na capital. Com todas conversamos e com alguns membros das bandas criamos uma grande afinidade que dura até hoje. Sim, o Ratos é uma grande influência, são percussores nacionais dessa mistura de metal, punk e hardcore que eu gosto tanto.
DxDxOx no Festival Fogo no Cerrado 2010 
11-E hoje a DxDxOx influencia as novas bandas aí. Fica a sensação de missão cumprida?
Enrique - Na verdade eu não sei se influenciamos alguém não hahaha (má influência). Mas acho que colaboramos para as pessoas saberem que existem outras formas de expressão no rock, mas pesada, mais violenta, do que elas estão acostumadas com as bandas de “revista” e mainstream. E claro, pra que as pessoas saibam que existe toda uma rede mundial de underground que se comunica, cria, divulga diversas formas de rock.

12-O material mais recente de vocês é o cd-r split DxDxOx / AGAMENOM PROJECT de 2011. Ainda existem planos para novos projetos em 2012?
Enrique - Em 2012 agora retornamos a ensaiar, temos novas músicas feitas por diversas influências e pretendemos continuar ensaiando para gravar um novo material em boa qualidade o mais rápido possível. No último ano tocamos com bandas bem legais como Violator, Merda, Dead Fish, Bullet Bane e outras, que nos motivaram a continuar tocando ainda.
DxDxOx 2012 é Tomaz Feelings, Alysson, Enrique e Diego Gordo.
13-Muito obrigado Enrique, deixe a mensagem final aí, ou fale sobre algo que não perguntei e que ache interessante...o espaço é seu:
Enrique - Valeu Nem pelo espaço, obrigado mesmo! Bom, o DxDxOx hoje é Enrique no vocal, Diego na bateria, Alysson no baixo (que mora em Goiânia – GO) e Tomaz na guitarra. Por vezes, na ausência do Alysson, nos apresentamos como trio, mas sem perder a barulheira. Estamos ativos e pretendemos o mais rápido possível gravar algo novo e tocar novamente. Para acessar informações, procure os links: FACEBOOK: http://www.facebook.com/DxDxOx
TRAMAVIRTUAL (música para ouvir e baixar): http://tramavirtual.uol.com.br/dxdxox
E para download de nossa demo “O inferno é só um lugar”: http://www.mediafire.com/?ijh2mjqy1ry
E temos camisetas, CDr e DVDr disponíveis como merchandising, só me adicionar no facebook para saber mais: http://www.facebook.com/enriqueddo
Um grande abraço e sejam sempre vocês mesmos, é o que importa de verdade.

Discografia - DORDEOUVIDO
* tape "Perturbação demo reh." - Nöise Mesmo Records - 1999
* Split tape/cd-r w/ Access Of Denial - Nöise Mesmo Records - 2000
* cd comp. (1 song) "NOISE FOR DEAF III" - Rotthenness Records - 2000
* tape "Unreleased Songs w/ Sampler" - Nöise Mesmo Records - 2001
* cd-r comp. (1 song) "THE YOUTH SHALL SING International DIY HxCx/Punk" - STOP'N GO! FANZINE - Indonesia - 2002
* tape comp. (2 songs) "CGZINE Compilation HARDCORE vs. GRINDCORE" - Nöise Mesmo Records - 2003
* cd-r/tape comp. (2 songs) "Setembro Hc Caos Vol. 4" - Setembro Hc Caos Records - Brasil - 2004
* cd-r comp. (2 songs) "Won't give it and won't fuckin take it!" - Noise Attack Records - Filipinas - 2004
* coletanea Virtual ZONA PUNK vol. 2 - www.zonapunk.com.br
* coletanea Virtual Fuckkk - www.fuckkk.com.br
* split tape/cd-r w/ MONSTROMORGUE - Nöise Mesmo Records - 2004
* 4 way tape w/ JÄPÜRÄ NOISE PROJECT/PãoXCircoXViolência/CosmeDamião
Nöise Mesmo Records/Bandana Records/ElvisCore Records - 2004
* cd-r comp. (3 songs) "Destroy Music Now for a Better World Tomorrow 2" - DMN! Records - Brasil - 2004
* 3 way cd-r ANARKITRAN (Chile) / DxDxOx (Brasil) / GROTESKO (Chile) "Num Fuck!!" - Impetigo Prod. - Chile - 2005
* DxDxOx / VOZES DU ALÉN (PA) / DEMIAN (SP) / DISSECT (Finland) 4 way split cd-r By Purgatorius Records
* Coletânea HARDCORE MS (2 songs) - TOP SOM ESTÚDIO - 2006
* VHS - DxDxOx - 18.04.2003@BARFLY - Campo Grande - MS (Show)
* VHS - Split Vídeo 2003 - DxDxOx / JÄPÜRÄ NOISE PROJECT - Live 13.09.2003@Imperial Throne of Metal Fest - Campo Grande - MS (Show)
* DVD-r ao vivo em Cuiabá - MT - Brazil - 28/10/2006 - (show)
* DxDxOx - "O Inferno é só um lugar" demo 2008
* DxDxOx / Menstrual Noise Madness split cd-r 2008
* cd-r comp. Visão Underground Zine vol. 2 - 2008
* tape "8 ways... The Same Destination - a brazilian hardcore compilation" w/ Nieu Dieu Nieu Maitre, Cü Sujo, Merda, Frattelli, Chaka, Dor de Ouvido, Estorvo e Exumados - PQÑ Records - 2008
* IMPROVISO ZINE número 03 - Entrevista e cd coletanea com DxDxOx + 49 bandas undergrounds brasileiras – 2008
* cd-r 4 way split com SUBCUT / VENIAL e A BABA DE MUN-HÁ – 2010
* DVDr – “ao vivo no Fogo no Cerrado 2010”
* cd-r split DxDxOx / AGAMENOM PROJECT – 2011
Contatos DxDxOx
A/c Enrique Gonçalves
R. Albert Sabin, 1048 - CEP: 79090-160
CAMPO GRANDE - MS
Tel.: 67 - 3331-0712 / 8404-6930
Email: enriqueddo@hotmail.com

Um comentário:

WE LOVE TAPES RECORDS disse...

Valeu pela entrevista, abraço Enrique!