terça-feira, 19 de março de 2013

Entrevista com Pablo da Berne's

Hoje conversei com o Pablo, baterista da banda Berne's de Uberaba-MG. Ele me falou um pouco sobre a trajetória desse trio mineiro, a proposta da banda e também sobre o disco novo. Acompanhe aí.
Pablitu na batera da Berne's. Foto: Fabio Fernandes.
1-Toda banda tem uma história pra contar sobre o inicio. Como foi a de vocês e quais eram as influências naquela época?
Pablo: Um encontro casual entre eu e o Ameba (guitarra/voz) foi o que marcou todo o início; naquele dia, voltava da faculdade bem puto depois de uma prova desgraçada que fudeu todo mundo, e ele trabalhava de office boy e andava bastante debaixo de um sol quente não muito satisfeito...nos conhecíamos apenas de vista, e partir dali a idéia foi tomando forma.
Da esq. p/ dir.: Pablo, Fernando e João formam a Berne's.
2-Não conheço a cena local aí de Uberaba. Nos fale um pouco sobre a movimentação e bandas que rolam por aí:
Pablo: A cena underground aqui já foi muito forte! Vários shows de bandas conhecidas no cenário independente e até mesmo um pouco mais acima, e a galera sempre presenciando e fazendo acontecer; depois os festivais viraram lenda e apenas uma vaga lembrança! Mais nos dias atuais tem bastante gente querendo ressuscitar os velhos tempos, e vejo com otimismo essa luta pelo Underground.
Berne's em ação.
3-Vocês estão há um bom tempo juntos, mantendo a mesma formação, coisa rara de se ver na cena underground. Qual é o segredo?
Pablo: Creio que a alma do negócio é gostar do que faz e acreditar naquilo...somos grandes fãs da banda, antes mesmo de sermos integrantes, então facilita tudo...e a amizade sem dúvida! São os pontos fundamentais que mantém a banda na ativa até hoje.
Fernando Ameba - Guitarra e Voz.
4-Recentemente a Berne's lançou o primeiro CD chamado "Infectodemia". Como foi o processo de produção e gravação e por que deram esse nome ao disco?
Pablo: O processo de gravação foi uma novela...ao mesmo tempo que um prazer, e grande evolução musical de cada um, foi difícil pois é inevitável ser exigente com o trabalho, o que acabou levando mais tempo que pretendíamos; rolou bastante experiência de variados timbres de guitarras, distorções para o baixo, tambores e pratos de bateria e vozes, mais não temos do que reclamar...creio que temos um bom disco em mãos! Infectodemia é a faixa-título que abre o disco em grande estilo, e a palavra que é de nossa autoria significa "corrupção em massa", e tá bem descrito no disco...basta ouvir!
Ouça aqui o CD Infectodemia.
5-Quais são os outros temas abordados nesse trabalho?
Pablo: Além da corrupção das mais variadas formas possíveis, abordamos outros temas do cotidiano em geral, como por exemplo pedofilia, sexo casual, bebidas e histórias engraçadas envolvendo seu uso, dinheiro, mulheres e uma grande crítica a nossa querida Uberaba.
Pior que eu - Clipe
6-A banda teve parcerias pra lançar esse disco, inclusive na argentina? Como surgiram?
Pablo: Lançamos o disco através da Sapólio Rádio, selo e produtora de Uberaba/MG...e o disco contou também com distribuição na Argentina através de outros selos parceiros, como por exemplo o DVR Booking e o Monejo Records (Chile). As parcerias são antigas...surgiram anteriormente através de conversas sobre um possível lançamento do nosso trabalho; aos poucos as idéias foram surgindo e se desenrolando.

7-A maioria das bandas undergrounds não conseguem sobreviver da música. E com vocês, como funciona?Vocês já conseguem sobreviver ou conciliam a banda com o trabalho?
Pablo: Com a gente não é diferente, necessitamos de um trabalho paralelo, até mesmo pelo gosto por outras coisas além da música...e conseguimos conciliar bem até o momento.
João Berne - Baixo e vocais.
8-Hoje em dia tá bem mais fácil gravar um CD, mas pelo fato do Brasil ser um país muito grande, dificulta a circulação da bandas por causa dos custos com transporte entre as cidades. Mesmo assim, vocês pensam em armar uma turnê para divulgação desse novo trabalho?
Pablo: Verdade, a alternativa para as bandas independentes acaba sendo as turnês, pois te possibilita mais shows em cidades próximas e um grande intercâmbio de cultura, valores e experiências. Fomos pra Argentina dessa forma, e esperamos conseguir novas oportunidades de turnês pelas regiões do país...Nordeste com certeza está na lista!

9-Desejo sorte a vocês nessa correria, e o espaço tá aberto pra vocês falarem o que quiserem:
Pablo: Nós que agradecemos o espaço, muito bom saber que existem várias pessoas na eterna luta pra manter o underground vivo e é assim que as coisas funcionam! Esperamos que a galera do Nordeste curta Infectodemia, pois elogios sobre o público daí é o que não falta! Valeu e grande abraço!
Contatos:
TWITTER: @bernesoficial

Um comentário:

Hardcore! disse...

Aê mais uma informação, mais uma banda pra curtir !! Valeu!