sexta-feira, 31 de agosto de 2012

Entrevista com o Xi Drinx

Continuando com a proposta do blog Tosco Todo que é divulgar e difundir o que está rolando no underground, o papo de hoje é com o Xi Drinx, um cara que agita a cena no Oeste da Bahia com seu blog, suas bandas e fazendo as gigs acontecerem...acompanhe aí:
Xi Drinx
1-Você sempre se movimenta aí, entre as cidades de Barreiras e Correntina, seja tocando em bandas, escrevendo em blog ou promovendo eventos. O que você anda fazendo agora? Tá tocando com alguma banda? produzindo alguma gig?
Xi Drinx- Fala Nem! Mano, ultimamente estou trampando com o Terra Sem Lei, que é um blog que mantenho com Suzana, estamos agitando entrevistas bem legais por lá, inclusive vamos fazer nossa primeira entrevista internacional com pessoas da cena punk da África dos anos 70!
Estou tocando na Projétil Paralelo e na Neurovermes, dois projetos bem distintos. Não tenho eventos pra uma data próxima para organizar, mas claro, sempre com ideias prum futuro. Para esse ano pretendo só tocar e gravar também.

2-Como é a cena aí no Oeste da Bahia?
Xi Drinx- Cara, é complicada demais, por que a maioria das pessoas que estão nas cenas, não sacam a ideia de cena, de estar fazendo algo saca? De sacar que elas que são a diferença, claro que tem muita gente em várias cidades aí fazendo a diferença, mas o público no geral ainda é muito imaturo na questão de enxergar na cena local um movimento de cultura independente. Mas como disse antes tem muita gente foda aí dando a cara à tapa, como Jessé lá em Santa Maria da Vitória, em Correntina as pessoas que tocam comigo na Projétil e algumas outras da cena, em Barreiras tem o pessoal da Vomitos que agitava muito antes aí, agora estão mais parados, mas acho que tão voltando. Tinha por exemplo Bom Jesus da Lapa, que é uma cena metal foda, mas que hoje em dia não rola nada mais que um encontro de amigos pra ouvir um som, o espírito de cena mesmo não existe mais por lá, espero muito estar errado, mas até onde eu sei é isso.

3-Você foi um dos idealizadores do Festival Correnteza, em Correntina-ba. De onde veio a idéia do festival? E como foi a produção do evento? Foi na base do faça você mesmo?
Xi Drinx- Mano a ideia foi assim: três dias de foda-se pra sociedade, e inundar a cidade com a energia visceral do rock and roll, é essa a ideia base do Correnteza, e foi foda! Por que conseguimos o que queríamos inicialmente. Foi muito dificil fazer o evento pelo porte dele, as vezes eu não sei onde eu estava com a cabeça de ter pego um trampo daquele! Hahah
Procuramos bandas pela internet, mantemos os contatos, e pronto, o pessoal todo veio por conta, aqui a gente deu, comida, lugar pra dormir e espaço no evento, eram 22 bandas tocaram de verdade 16, além do desfalque de bandas a gente teve problemas no evento desde a prefeitura negando o som de última hora, até a pele do bumbo da bateria rasgando em pleno show. Ficamos com vários prejuízos mas valeu a pena, agora estamos pensando pro ano que vem como fazer o segundo e sanar essas dificuldade, no mais foi foda. Cada um ajudou com o que podia, muita gente mesmo envolvida, a articulação praticamente toda pela internet, sem um real no bolso organizamos o maior evento de contra cultura do oeste da Bahia.
Festival Correnteza em Correntina-Bahia
4-E depois do festival, qual foi a reação das pessoas da cidade com o que viram?
Xi Drinx- O evento fez aparecer uma galera que curtia rock na cidade que eu nunca imaginei, eu e muita gente da nossa geração imaginamos que seríamos os únicos por um bom tempo, apesar que a galera não tem aquela veia política que a gente sempre teve desde sempre, é muito legal ver gente nova aparecendo curtindo o som se interessando por algo diferente, a semente tá lançada.

5-E as bandas que participaram do evento, o que acharam?
Xi Drinx- As bandas fuderam total velho, e fuderam gostoso! Hahaha...
Meu eu só tenho a agradecer por que apesar dos contra-tempos do evento, a apresentação de todas as bandas foram muito boas, todo mundo curtiu pra caralho, quem foi pra curtir um show de rock se surpreendeu por que foi muito som e som pesado!! Nem eu tava ligado que o evento teria tanta banda de música extrema, foi hardcore total e o melhor disso foi ver garotinha da sociedade que mal ouve Legião Urbana pulando com cover de Ratos de Porão, isso é uma prova cabal que não existe essa onda de preconceito o lance é tocar e fazer acontecer, por que rock and roll é isso, é foda!
Banda Descarga Negativa de Goiânia no Correnteza
6-Queria que você fizesse um balanço do festival já que você foi um dos produtores? E o que fica de experiência, entre erros e acertos?
Xi Drinx- Então, o evento deixou vários prejuízos, acho que todo mundo da organização ficou com um, Véi Miguelo teve de pagar a passagem dele de volta pro Goiás, Suzana vai pagar a pele do bumbo, eu vou ter que pagar o meu cubo de baixo que alguma banda estourou no segundo dia do evento, além disso rolou as bandas que falaram que iam comparecer no evento e nem deram sinal de vida, muita sacangem né? Visto o sucesso do evento vamos tentar fazer num espaço fechado, para arrecadar uma grana pra poder sanar uma parte dos possíveis prejuízos, mesmo que a falta de espaço seja um grande problema, temos aí um ano praticamente pra poder pensar em como fazer isso, o que não pode é deixar de ter rock and roll e revolução no velho oeste!
Projétil paralelo
7-Agora vamos falar sobre os seus projetos musicais. Você toca na Neurovermes e na Projétil paralelo. Já chegou a gravar algum material com essas bandas?
Xi Drinx- Bom, a Projétil tem uma demo gravada e um EP ao vivo, a Neuro só tem um show no youtube (que está com qualidade ótima) que dá pra sacar. Os lances da Projétil todos tem no blog da banda e dá pra baixar numa boa.
DOWNLOAD - Primeira Demo da Projétil Paralelo
8-Qual o estilo da Neurovermes?
Xi Drinx- A Neuro toca um punk rock com muita influência do cyberpunk, tem uma leve passada na psicodelia por que é um lance que eu tenho comigo na minha concepção musical, as letras tem influência da literatura cyberpunk e da nossa vivência mesmo em Barreiras, esse deserto cultural que vivemos.

Apresentação da Neurovermes
9-Nos fale um pouco mais sobre esse tipo de literatura Cyberpunk:
Xi Drinx- Bom, a literatura cyberpunk começou no fim dos anos 80 com um dos principais livros o Neuromancer, que é um livro onde o pessoal do Matrix tirou muita coisa, inclusive o conceito de Matrix vem daí, é um universo distópico, onde as máquinas vivem praticamente uma relação simbiótica com o ser humano, e nesse contexto também tem os punks né? Lutando pela liberdade dentro de um mundo neoliberal, esse contexto dos punks propriamente ditos rola mais nos rpgs de cyberpunk como no GURPS. Somos meio nerds a verdade é essa hahah...
A inspiração da Neurovermes
10-E o Projétil Paralelo, quais são as influências?
Xi Drinx- Então o lance que rola na Projétil é que com essa banda a gente leva toda nossa maturidade ideológica, musical bem a sério, eu costumo dizer que a banda é post-hardcore justamente por isso, por ser uma banda que como várias outras (a exemplo maior temos o Fugazi) a gente desvencilha certos preconceitos do punk e deixa a caraterística principal que é fazer um som faça-você-mesmx trazendo contestação até pro próprio meio. O que mais influencia a gente é bandas que tem uma atitude revolucionária que fazem com que a cultura punk seja mais do que uma desculpa pra beber e dançar, por que como eu digo sempre, se você tá aqui pra fazer isso, não tem moral nenhuma pra falar mal do carnaval, a galera também tá lá fazendo isso saca? Eu escolhi o punk como modo de vida por ele representar (pelo menos na minha opinião) uma ameaça ao sistema, não somos punks como o sistema espera ver, acho que é por aí. Musicalmente temos muitas influências, como já citei tem o Fugazi, o At The Drive-in, Drive Like Jehu, aqui no Brasil tem o Não Religião, Eu Serei a Hiena, Ludovic, entre tantas bandas fodas aí!
DOWNLOAD - Projetil Paralelo - EP Antropofagia
11-E daqui pra frente, o que pensa fazer? quais os projetos para o futuro?
Xi Drinx- Bom, pra esse ano eu estou vendo se a Projétil faz uma mini tour em São Paulo e talvez lance um split, to tentando abrir um podcast pro blog também, também tenho planos de ir pra estúdio com a Projétil pra gravar nosso próximo EP. Tocar nos próximos shows que aparecer, estou tentando fazer uma gravação caseira de um álbum solo com uns lances que fiz durante os tempos aí. Ano que vem tem Correnteza de novo, mais shows, espero muito ver o Cama de Jornal aqui no nosso velho oeste!

12-Muito obrigado pela atenção: o espaço é seu pra divulgar, se expressar, repudiar, o que quiser...
Xi Drinx- Meu velho, eu que agradeço, essa é a primeira entrevista que eu respondo, tem 3 anos que escrevo pro blog, e já fiz várias entrevistas mas nunca respondi hahaha...
Eu queria agradecer o valioso espaço, dizer que é uma honra ter espaço junto com todas essas lendas que já passaram por aqui. E falar pro pessoal que está lendo isso: Criem mais espírito de união, você é uma pessoa muito importante, pode fazer mesmo a diferença, se você desenha, pinta, escreve poesia, ou toca, leva adiante o que você quer fazer, não tenha vergonha, as cenas são meio pobres culturalmente por que mal conseguimos ter bandas, faltam as pessoas enxergarem que o punk não só um cara ou uma mina tocando guitarra, punk é revolução, quebra de preconceito!!
Mais respeito no underground, mais garotas ativas nas cenas, menos gente alienada, seja por drogas ou o que for! Vamos fazer essa porra funcionar!!!

sonâmbulo e delirante
deito em pé
rua acima

Conheça mais aqui:
Blog da Projétil Paralelo: http://www.projetilparalelo.blogspot.com/
Xi Drinx em movimento

7 comentários:

Alana S. disse...

o que posso dizer? é ainda mais foda ver tudo isso aí numa entrevista. conheço shed de velhos carnavais (ou seriam velhos shows de rock? haeihea) e o bicho é tudo isso aí mesmo, sem tirar nem por. Parabéns ao blog pela proposta mais que massa, e parabéns ao shed, por estar sempre firme!

Gril disse...

Poxa, tenho orgulho de conhecer o Xi Drinx o cara faz um projeto com a cara e a coragem, faz a cena crescer, muito bom mesmo.

NEM, TOSCO TODO - SELO DE DIVULGAÇÃO disse...

Valeu, galera!!! O blog Tosco Todo existe por que ainda acredita na cena underground e nas pessoas que fazem isso tudo acontecer!!! Um abraço e obrigado pela visita e comentários!!!

Ribu münhart disse...

Af,o She,e tudo que ele faz,isso m anima.Porra tinha que lembrar de falar mais contigo no msn ou na internet quando puder.

Uma pessa pode fazer toda diferença mesmo,isso é fato,só pegr um livro de história aí.

Vini Costa disse...

Grande pessoa que eu adoro conversar e admiro demais.

Admiro mto essas correrias q vc faz pelo underground e eu realmente te acho muito rock'n'roll.

Punk is nerd!!!

Zine Oficial - Rock e Cultura Underground disse...

Pode crer galera: pessoas como o Xi Drinx fazem a diferença. Conheço a região do Oeste Baiano, especialmente Barreiras, há mais de 15 anos. Nunca tinha visto iniciativas para organizar a galera do rock por lá, no sentido de promover uma cena alternativa forte e pulsante. Barreiras foi agraciada quando Xi decidiu estudar na cidade, oriundo de Correntina. Toda a região tem sorte por ter nascido ali um cara de atitude como ele. E eu tenho orgulho de tê-lo conhecido pessoalmente, em uma das vezes que veio à Brasília e decidiu me visitar. Trocamos altas ideias e posso atestar a sinceridade em cada palavra da entrevista dele ao blog Tosco Todo. A empolgação e as ações de Xi demonstram que o lema “faça você mesmo” continua se renovando! Parabéns aos que acreditam: parabéns ao Xi e à galera que está junto com ele na batalha! (Tomaz, Zine Oficial - DF e Entorno)

Xi DrinX Sexualicaos disse...

Gente, poxa, obrigadão mesmo pelas palavras sinceras e lindas, eu me arrepiei aqui vendo os comentários, Alana, Gril, Ribu, Vini, e Tomaz, brigado mesmo pelas palavras o mais foda é saber que é tudo sincero, tanto da minha parte quanto de vocês.